segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

VOGUE JOIAS - Rita Bittencourt - JOALHERIA DE ARTE

VOGUE JOIAS - Dez. / 2009.
Abaixo, colar "Copacabana não me Engana" da Coleção Metamorfose - as várias faces de uma joia. As primeiras fotos, "Face Calçadão", em aço escovado, laca japonesa, prata, couro e topázios brancos. As última foto, "Face Azul", em aço escovado colorizado em azul, prata, pérolas negras cultivadas, couro e placas de ouro.
Dias de trabalho pois só concebo a joia assim, com muito suor e tempo, como um bordado... Vários desenhos e protótipos até que os desenhos do calçadão se encaixassem perfeitamente, ao pousarem no colo.
Colar"Copacabana não me Engana" . VOGUE- dez. 2009.
Colar "Copacabana não me Engana". Face Calçadão.
Colar "Copacabana não me Engana" . Face Azul.

sábado, 19 de dezembro de 2009

UM BELO ANO!

Que seja assim, como uma explosão.
Que tenha luz e cor. E paz e amor.
Que seja um grito,
que seja de alegria,
sempre!
Um belo Ano!
Rita Bittencourt
Anel "Dente-de-leão", em prata 950, ouro 750 e tecido.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

" TITÂNIO - Colar e Brinco Único"

Meu querido titânio. Há três anos pesquiso. Muita pesquisa para trilhar um caminho independente. A busca do material... Fazer e refazer, sem desistência. Contrariar, literalmente, o escrito. Peças únicas, meu prazer!
Prata 950, titânio, ouro e pérolas cultivadas.

"Calotas Flutuantes"...

Não quero só, fazer joia. Quero que ela expresse o meu pensar, minhas buscas, minhas pesquisas, minha poesia. Partir dum conceito ou duma forma existente e dizer como minha alma a enxerga. Não invento nada... Está tudo aí ao alcance do meu olhar. É isso que me dá prazer, enxergar a alma das coisas!
Prata 950, aço e pérolas de água doce, cultivadas. Coleção Metamorfose.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

"E AQUELA MULHER TRISTE FALOU BAIXINHO, ASSIM:"

Lamento que parta. Uma partida sem malas ou bagagem mas, sei, sem volta. Sem volta porque jogou tudo fora, descartou-se de tudo que poderia fazê-lo voltar. Também, não quero me lembrar mais de você, pois já não lhe conheço. Não quero evocar sua imagem pequenina, sua alegria antiga, seu jeito carinhoso, seu encanto de criança ou sua delicadeza, para consolar-me. Para que, se tudo isso foi ofuscado pelo que você transformou-se hoje? Numa pessoa dura, amarga, de olhar que não se queda, com uma emoção raivosa, sempre com pressa... Numa pessoa esquecida e, aparentemente, sem memória...
Vá com Deus! Também descarto-me de você. Não quero mais lembranças...
Talvez você apareça num Natal qualquer, ou numa doença, com uma flor ou uma maçã... Sem jeito, doido para virar as costas. Se eu perceber isso rezarei para nunca mais voltar.
11/12/2010: Continuas o mesmo...

sábado, 28 de novembro de 2009

"Brincos Ovais Modelados - Laca japonesa"

Prata 950, pérolas de água doce, cultivadas, e laca japonesa. Técnica: folhas de ouro e prata. Abaixo, mais brincos em laca.

PASSAGEM POR PASÁRGADA - Rita Bittencourt

Ah, iria, eu pra Pasárgada Pra ser rainha - Oh, lá, lá! - Pois se sou feliz aqui Serei muito mais por lá. Levo meu rei e meus súditos, Vou colher tâmaras no pé, Recitarei os meus versos Pro povo que, lá ,houver. Vestirei vestes de seda, Seduzirei o meu rei, Sem medo de prole grande, Muitos filhos gestarei Em camas brancas, ao vento, Sob luas de papel, Cheias, brancas, luminosas, Sem a penumbra de véus. Não terei medo de amar, Ginástica, jamais farei, Pau-de-sebo, nem pensar, Em Pasárgada, deitarei! E, me desculpe o poeta, Do mar, jamais me aproximo, Pois já levou o meu canto, Pode selar meu destino... Quero sombra e água fresca, Pois, daqui, já me esgotei. Lá em Pasárgada, te juro, Morrer, jamais pensarei! Mas, em Pasárgada, só quero Passar um tempo pequeno Pra não morrer de saudade Da minha terra, menino. UMA VIAGEM PRA PASÁRGA, da Litteris Editora, 2009. Parodiando Bandeira, de"birra", o contrario em tudo. Faria tudo isso, e muito mais, na utópica terra.

"Brincos Multiuso em laca japonesa"

"COLEÇÃO METAMORFOSE - as várias faces de uma joia". Abaixo, algumas das 16 formas de uso destes brincos. Confeccionado em prata escovada, cobre oxidado, folha de ouro, laca japonesa e pérolas de água doce, cultivadas. Exercício de paciência, dias a fio, pois a laca tem várias etapas. Voluntariosa, tem seu tempo... Eu, moldando a minha alma, amansando minha ansiedade... Partiram para uma noiva, Adriana, presente dos seus pais. Muito boa sorte. Tim, tim!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Colar "Metamorfose"

Idealizado para as costas, parte pouco explorada na joalheria. Aço escovado, forjado. Oito formas de uso. Calotas de titânio violeta, e prata 950. Desmembra-se da gargantilha acima e transformas-se no colar, abaixo. A gargantilha, cuja modelagem final é efetuada no colo da cliente, pode ser usada, também, para a frente.

Pulseira "Metamorfose"

Pulseira em aço escovado, forjado. Prata, ouro e pérolas negras cultivadas, de água -doce. Fecho-laço de fios metalizados, arrematado por pérolas. Amei fazer essa coleção. A descoberta da cor para o aço - testes mil, ligas, outras mil !- o trabalho árduo da serra - quebraram-se todas! - o tempo empregado... Pura obstinação. E o resultado me fez feliz por muitos dias e eu, literalmente, leve -a forja é fogo! - descansei lendo um bom livro mergulhada em edredons com o ar condicionado "a todo vapor", nesse calor infernal, do Rio.

Colar "Metamorfose"

Colar Metamorfose. Duas faces. Aço escovado, colorido em azul, placas de ouro e pérolas cultivadas, de água -doce. A outra face tem a textura e cor da pulseira acima - escovada. Fecho- laço, de fios metalizados, arrematado por pérolas.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Bracelete Envelope"

Bracelete em prata 950, ouro 1000 - Kum Boo - e reticulação. Para Ana Paula "Pretinha" que pediu que eu postasse. Saudades!
Parece que ele dorme no escuro com uma luz que o ilumina, apenas o suficiente, para que não tenha medo...
Sou uma sonhadora!

"Bracelete Recortado com gema"

Bracelete em cobre, prata e topázio branco. Feito numa manhã encantada em que nenhuma serra partiu-se e as soldas fluiram perfeitas, sem manchas, e a gema se instalou, alí, no espaço dela, como uma criança em seu berço. E a cravação foi feita como se eu tivesse feito isso a vida inteira. E todas as peças iguais a ela nascem assim, quase perfeitas, quase sozinhas, como se eu fosse uma mera coadjuvante. E sou!

"Bracelete Titânio"

Bracelete em titânio iridisado. Prata 950, rodinada e pérola negra, cultivada, de água-doce.

domingo, 30 de agosto de 2009

Brincos "As lágrimas de Maria"

Nasceram após eu desenhar a capa do livro. Amo faze-los, martelar o metal, dar forma, colocar as pérolas. E quando eles partem deixos-os ir, com prazer, pois quem os leva, conta um pouco da minha história... Muitos já andam por aí...

PRA LOUVAR!

-Pra que estas canelas tão finas, canelas de sabiá? - São pra correr esse mundo, pra novos mundos pisar, pra correr qual sete-léguas sem vontade de parar. - Pra que esses cabelos tão longos, cabelos para trançar? - São pra tecer os caminhos e não me esquecer de voltar, pra encurtar as distâncias, e a minha busca encerrar. - Pra que esses olhos tão verdes, tão verdes da cor do mar? - São pra banhar esse mundo e meu amor desaguar são pra prender meus amores nas tramas do meu olhar. - Pra que esses dedos tão longos qual garras a tatear? - São pra escrever as histórias que vivo, em ânsia, a buscar, são pra construir as belezas que prendo no meu olhar, são pra afagar meus amores, lentamente, devagar, são pra espantar meus temores, oh, meu Deus, são pra louvar! Rita Bittencourt

Bracelete "Pois"

Gosto desse bracelete. Uma dia, inteiro, de trabalho. Perdida em pensamentos, poetando mentalmente. Naquele dia enchi uma fita do meu gravador, "ditando" poemas, crônicas... Tenho esse bracelete, sempre, em minha Pequena Joalheria. Fazê-lo amansa minha alma... Prata 950, rodinada.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

"Não é hora"

Ainda não é hora, é cedo... Deixe o crepúsculo descer e o sol sumir no horizonte. Deixe a noite cair com seus ais contidos e seus choros em travesseiros úmidos... Deixe a madrugada chegar com o canto do amanhecer e só parta quando lhe servir o café - ovos mexidos, meu amor! Vou desabar sobre a mesa e chorar choros de séculos de saudade de você. Se eu não morrer... Rita Bittencourt

quinta-feira, 23 de julho de 2009

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

O piso, "bordado", preservado... Leve cetim, de verniz, lindo! Hoje, um menininho escreveu no meu livro de mensagens : "o dono dessa casa é um sortudo!"

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

A Joalheria foi toda projetada para aproveitar os elementos arquitetônicos do Castelo. Pintada em "Branco casamento", da Coral, os móveis idem e as cadeiras e manequins na cor "Biscoito de chocolate". Os arranjos em tons de "Ocre avermelhado", também da Coral. As flores, gardênias e camélias, brancas. Todos os móveis foram projetados para o espaço pois o salão, grande, numa das torres do castelo, tem apenas uma porta que mede, apenas, 57 cm. de largura. No entanto tem três belíssimas janelas em vitrais autríacos, amarelos e brancos, em losangos, encimados pelo brasão da família do Barão, onde a luz e a brisa entram e abelhinhas chegam atraídas pelo perfume de flores que espalhamos pelos cantos. Os arranjos, flores, móveis e objetos da minha loja, no Rio, a DOM DE CRIAR, na Ilha do Governador. Clima de sonho! No fundo, Edith Piaf, minha querida, canta "Ne me quitte pas" até as luzes se apagarem e a gente partir para a nossa vida de verdade. Sentirei saudades...

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

Clientes na Joalheria. As joias estão sendo apresentadas como doces, em boleiras de vários tamanhos que são manuseadas pelos clientes.

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

Eu e Anna Clara Herrmann. Momentos de descontração.

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

Clientes, na Joalheria.

"Joalheria Contemporânea" Castelo Barão de Itaipava

A nova Coleção METAMORFOSE. Lançada no JOIA BRASIL de Anna Clara Herrmann, EM JUNHO. Parte, em agosto para o Bling Bling, no MORAR MAIS.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

As lágrimas de Maria
Contos, Crônicas e Poesias
Rita Bittencourt
Zit Gráfica e Editora Ltda - 1a. edição - Junho 2009
Copyright -Rita Bittencourt
Todos os direitos reservados
Lançamento no MASTERCASA
Castelo Barão de Itaipava - Rod. BR. 040, Km. 56
Rio -Juiz de Fora
Itaipava - Petrópolis - RJ
De 04/07/09 a 09/08/09
Terça a sexta das 13:00 as 19:00h.
Sábado das 13:00 as 22:00h.
Domingo das 10:00 as 19:00h.
Obrigada a todos que estiveram por lá, pelos que telefonaram, passaram e-mails, me visitaram... Meus amigos de sempre, verdadeiros. Novos amigos... Obrigada aos que ainda irão... Obrigada!

"Inocência"...

Vovó faz joias e fica ouvindo uma mulher cantar. "Não me deixes"... diz vovó, cantando baixinho Vovó, vamos brincar! Vovó chora... Quem é ela, vovó, por que chora? Ela diz que é Edith Piaf, uma mulher triste... Que chora de cisco no olho... A mulher canta em francês -"ne me quitte pas"... Piaf, Pif-paf. Pá-pá-pá Pá-pará Pá-pá! Vamos fazer Pif-Paf, vovó, o doce que a gente inventou! Ovo, açúcar, leite, farinha. Leite de vaca, açúcar de cana, farinha de trigo, ovo de galinha! "Não me deixes"... Não vou lhe deixar, vovó, você sabe que eu sempre volto aos domingos. Não chore... As lágrimas de Maria - Segunda capa.
As lágrimas de Maria... Gestado por alguns anos, delicadamente, como se gesta um filho. Fruto de minhas observações e vivências, dos cheiros das terras que pisei, das histórias que colhi observando e aprendendo com os que passaram por mim, pelos que partiram e chegaram, pelos lugares que vi, pelas histórias que ouvi, pelo que vi e observo, ainda... Pelo muito que me foi dado, pela dádiva de ter sido premiada com uma mente plena, inquieta e investigativa. Uma parte de mim... Estou feliz e amansada com esse novo filho que acalento com cuidado preparando-o para partir como o filho das minhas entranhas. Que ele siga um belo caminho e encha almas de alegria, que desperte nas pessoas o lado bom, que as faça sonhar e que avive nelas as emoções que senti ao escrevê-lo: as emoções da vida!
Para vocês minhas lágrimas, meus pesares mas, sobretudo, minha alegria, meu encantamento e esperança, meu agradecimento pela dádiva dessa tão curta vida!
Rita Bittencourt

"Poema de Boas Vindas"

Primeiro verso... Flores, flores, para que te quero? Para encantar e alegrar corações Para que chegue e parta com alegria E amanse a alma com minha poesia Vá e volte com essas flores no peito Colhidas da dureza milenar do ferro Do brilho e limpidez do vidro eterno Com delicado olhar de véus de seda Por minha alma ainda tão ingênua.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

ANDEI POR AÍ...

Andei por aí criando, martelando, lixando, limando, polindo... Transformando metais... Paralelamente, dentro de mim, foi feito a mesma coisa. Remexi as entranhas, escrevendo... Andei por aí gestando joias e um livro O livro, agora, em julho, nasce: o filho que se escolhe a cara e as entranhas. As joias nasceram, também desse jeito... Ambos, doloridamente... Filhos perfeitos? Não sei... Só sei que estou feliz. Mãe já não tão jovem que não se esquece da maternidade. Útero prenhe de mil luares e sóis, de lembranças e cheiros. E de saudades... Um dos filhos, verão abaixo. O melhor do meu recolhimento. Do livro, dou notícias. Breve... Rita Bittencourt 19/06/09

Colar e brinco único "Cascata"

segunda-feira, 4 de maio de 2009

PARA NÃO DESPERTÁ-LA...

Ando, assim, com os olhos marejados nadando em lágrimas contidas e silentes. Ando, assim, flutuando, pisando em ovos para que minhas agonias não despertem e façam barulho. Levito, na verdade, para não despertar os mortos, para não despertar a morte que, nesse momento, dorme com um olho aberto... Rita Bittencourt 04/5/09

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Brincos "Ondas"

Colar "Ondas"

QUE PENA!

Há no amor um pouco de todas as tragédias, a sublimez de todas as entregas e a embriaguez de todas as loucuras. Há no amor o rítmo lento dos versos e, ao mesmo tempo, a rapidez do desejo sem fronteiras. Há no amor a cálida manhã, a tarde de sol morto, a noite de sonhos e os fantasmas... Há no amor o tempo que passa, o depois, os dias, os anos e, para muitos, - que pena! - o total desprezo por tudo que foi tanto amor... Rita Bittencourt

domingo, 19 de abril de 2009

ASSIM...

Quero morrer assim, na surpresa... Pá, pimba, no susto, senão não morro! Rita Bittencourt

Anel "Texturado"

sexta-feira, 10 de abril de 2009

BORBOLETA

Já fui lagarta, crisálida, e encasulei-me na eternidade do escuro. Cumpri meu tempo, em ritual de esperas, algemas e frestas, linhas cruzadas e um grande silêncio... Rompi o cerco de sedas e véus de cimentos que me atavam. Voei, asas brancas, borboleta! Voe! Rita Bittencourt

Broche "Borboleta"

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Brincos "Românticos"

BENDITAS VEZES...

Benditas vezes que destravei a língua e estrilei, e chorei, e lamentei pra não sair correndo por aí feito louca, louca... Não agradei meu Deus mas amansei meu peito... Rita Bittencourt

sábado, 28 de março de 2009

terça-feira, 24 de março de 2009